Ciência

October 21, 2014

ciencia_e_tecnologiaA miúdo penso na definiçom de ciência, e nom me resulta singelo de definir, mas sei que tive muita influência na minha vida, no meu modo de pensar.

Poderia dar aqui umha definiçom de ciência, mas vas a Wikipédia e define-a bastante bem http://es.wikipedia.org/wiki/Ciencia (vai em espanhol mas foi a primeira ligaçom que apareceu).

 Penso que o máis importante que aportou a ciência na minha vida, e a assumir que existem limites, que nom todo é possível. Assumir que estamos rodeados de limites, que somos atraídos em todo momento pola gravidade, mas que todo pode ser entendível se estás adestrado para isso.

Dito assim, nom parece grande cousa, mas é. Vou pôr algúm exemplo.

Quando o meu pai estava doente de cancro, conhescim a umha amiga de umha amiga, que curiosamente me disse que estava a fazer um curso de nutriçom… Decorreu um pouco máis a conversa, e disse também que os seus mestres eram capazes de curar o cancro só pola nutriçom.

Eu, céptica, perguntei que como eram capazes de o fazer. Ela contou, muito segura, que certos tipos de alimentos mudavam a acidez da célula. Ao qual eu perguntei (nom som bióloga, mas as partes da célula e as rutas metabólicas pola minha profissom tenho-as que conhecer), a que parte lhe mudam o pH? Que influência tem isso nas fases de reproduçom da célula que som as que estám alteradas? Nom me soubo explicar nim dizer qual é o pH normal de umha célula (bom, nom dicia pH, dicia acidez). A verdade, eu estava naquela altura bastante fodida pola doença do meu pai. Se calhar, se nom tivera tido certos conhecimentos de biologia do liceu, e de biotecnologia no doutoramento e sem saber que som capaz de compreender as cousas se mas explicam, recomendaria ao meu pai que fora junto aos seus mestres e nom se operara. Nom sei se esse método funciona, se calhar se umha pessoa com conhecimento do tema mo explicara com profundidade, nom teria problema. Mas também sei que som tempos duros, e que ante momentos duros da vida, estamos frágiles, sentimo-nos desvalidos e tentamos acreditar em qualquer cousa que nos tire a dor física ou emocional.

Hoje o meu pai está perfeitamente, foi operado de cancro, meiante o método normal de intervençom nesses casos e podo desfrutar da sua companhia. É claro que eu aí jogava com vantagem, que é ter que explicar cada certo tempo como se duplica umha célula, quais som as suas partes e as suas rutas metabólicas mais importantes, além de ter trabalhado em biotecnologia com técnicas avançadas. É dizer, tenho um treino.

Nom sei se o cancro se pode curar ou nom com umha nutriçom só, mas sei, que para que alguém me convença disso, deve saber do que fala. Mais ou menos ajudou-me a saber quando alguém me tenta estafar. Diferençar ciência de magia é útli (fai-nos nom deitar o dinheiro no lixo) e esta é util.

Isabel S. Vijande
Engenheira Química em Centro de Estudos Espiral
Engenheira química com DEA e Mestrado em Educaçom. De experiência militante na defesa da terra com Verdegaia e na defesa da língua com a criaçom das Escolas de Ensino Galego Semente. Feminista e co-fundadora do Centro de Estudos Espiral. Biografia completa e currículo.

Leave a Comment

O teu enderezo electrónico non se publicará Os campos obrigatorios están marcados con *


*